Guia de Episódios Prólogo Primeiro Ato Segundo Ato Terceiro Ato Quarto Ato

Produção #V707 - Episódio 7


ESCRITO POR
S
usanne Beck


DIRIGIDO POR
Denise Byrd


PRODUZIDO POR
C
arol Stephens

IMAGENS DAS CENAS
Judi Mair


TRABALHO ARTÍSTICO
Lucia


GRÁFICO DO TÍTULO DO EPISÓDIO
Linda (Calli)

TRADUZIDO DO INGLÊS POR
C
hris Burle


 

PRÓLOGO

 

FADE IN

 

CENA ext. TRILHa - DIA.

 

XENA e GABRIELLE estão viajando por um caminho iluminado e arborizado. Xena está sentada sobre ARGO, com uma expressão de alerta. Gabrielle caminha à frente, com os olhos examinando a densa quantidade de árvores alinhadas dos dois lados do caminho.

 

 

Seu olhar se detém sobre um clarão de algo vermelho bem acima delas, e ela sorri, triunfante.

 

gabrielle

Maçã.

 

Xena gira os olhos e balança a cabeça, mas não comenta a descoberta de Gabrielle.

 

Perturbada, Gabrielle se vira e começa a andar de costas confiantemente, com um aspecto de frustração no rosto.

 

gabrielle

Tudo bem, então este não é o jogo mais divertido do mundo.
Mas eu não ouvi você oferecendo nenhuma outra sugestão.

 

 

xena

(inexpressiva)

Galho.

 

gabrielle

Galho

 

Suas mãos gesticulam tempestuosamente.

 

gabrielle

(continua)

Toda esta beleza em volta de nós, e galho é
a melhor coisa que você consegue dizer... ugh!

 

Gabrielle tropeça em frente, ricocheteando levemente para fora de um grosso galho carregado de frutas pendurado baixo sobre a trilha. Ela se equilibra bem perto de cair e fixa em Xena um olhar quente o suficiente para derreter gelo.

 

Xena retorna o olhar com uma sobrancelha levantada e um sorriso malicioso enquanto dirige Argo habilmente por volta do galho pendurado. Quando ela passa por Gabrielle, ela se inclina para frente e seu sorriso se alarga.

 

xena

Eu te avisei.

 

 

Xena passa alegremente, deixando Gabrielle cerrando os punhos e queixo, e se virando, com os dentes expostos.

 

gabrielle

(para as costas de Xena)

Você vai me pagar por isso, Princesa Guerreira.
Espere e verás.

 

 

Xena

(sorrindo perversamente)

Promessas, promessas.

 

A irritada frustração de Gabrielle passa tão rápido quanto uma chuva de verão, e ela sorri, joga os braços para cima, e anda depressa atrás de sua impenitente parceira.

 

dissolve PARA:

 

CENA ext. MESMO CAMINHO - DIA.

 

Xena e Gabrielle continuam sua jornada, com Gabrielle novamente à frente. Argo tropeça, e Xena profere um fluente xingamento quando retoma o controle sobre a égua.

 

gabrielle

Bem, isso funciona, eu suponho, mas eu não acho
que isso seja anatomicamente possível, Xena.

 

 

Xena

(para Argo)

Está tudo bem, garota. Está tudo bem.

 

Gabrielle se vira para ver Xena pular das costas de Argo e levantar a perna da frente da égua, observando atentamente o casco, em desgosto.

 

gabrielle

O que há de errado?

 

xena

Ela deslocou uma ferradura.

 

gabrielle

(preocupada)

Já é a segunda este mês.

 

xena

Eu sei. Lembre-me de agradecer nosso ‘amigo’
Pellos se nós o virmos por aqui novamente.

 

Gabrielle pestaneja.

 

xena

(continua)

Há uma cidade não muito longe daqui.
Venha. Eu conheço um atalho.

 

 

dissolve PARA:

 

CENA ext. FLORESTA - dIA.

 

Um TEMPLO velho, abandonado e caindo aos pedaços, aparece no estreito caminho por onde Xena e Gabrielle estão seguindo. Ele é cercado por um anel de muitas árvores velhas, a maioria das quais já caíram as folhas, mesmo ainda estando em pleno verão. O osso branco de seus galhos nus se assemelham a esqueletos humanos descorados pelo sol.

 

A temperatura ali parece como se houvesse baixado vinte graus, e Gabrielle treme quando uma brisa quase de outono esbarra na sua pele nua.

 

xena

Não é exatamente acolhedor, é?

 

gabrielle

Nem me fala.

(pausa)

Eu fico imaginando a quem poderia ser.

 

Xena observa a estrutura atentamente e de perto, mas a maioria dos sinais que a identificariam já se desintegraram.

 

xena

É difícil dizer.

Pode ter algo lá dentro, talvez.

 

gabrielle

Se estiver tudo bem pra você, eu acho
que prefiro ficar sem saber.

 

Argo bufa concordando, e Gabrielle sorri um 'obrigada' para ela.

 

Xena hesita por um momento, depois consente, puxando as rédeas de Argo.

 

xena

Tudo bem. Ele ainda vai estar aqui quando
nós voltarmos por este caminho.

 

gabrielle

(baixinho)

Fique feliz.

 

 

xena

Disse algo?

 

gabrielle

(com um falso sorriso)

Oh não. Nada demais.

 

Xena estreita os olhos, mas se abstém de comentários, e as duas começam a caminhar novamente, deixando o templo abandonado para trás.

 

Enquanto elas se retiram, um par de olhos segue seus movimentos até elas ficarem fora de vista.

 

FADE OUT.

 

FIM DO PRÓLOGO

 

PRIMEIRO ATO