Guia de Episódios Prólogo Primeiro Ato Segundo Ato Terceiro Ato Quarto Ato

Produção #V708 - Episódio 8


ESCRITO POR
Melissa Good


DIRIGIDO POR
Denise Byrd


PRODUZIDO POR
C
arol Stephens

IMAGENS DAS CENAS
Judi Mair


TRABALHO DE ARTE
Lucia


GRÁFICO DO TÍTULO DO EPISÓDIO
MaryD

TRADUZIDO  DO INGLÊS POR
C
hris Burle


 

PRÓLOGO

 

FADE IN:

 

CENA EXT. TRILHA NA FLORESTA - DIA.

 

Uma trilha para carroças se expõe através de uma profunda área da floresta. As árvores dali são altas e cheias de grossas folhas. Porém, elas se curvam ao vento, e o céu indica uma iminente tempestade. É outono, e faz frio.

 

XENA e GABRIELLE caminham pela estrada juntas. Elas estão vestidas com longos casacos, e carregam suas sacolas de bagagem em suas costas. Gabrielle está com o seu cajado de caminhada. É meio-dia, e elas já estão andando há algum tempo.

 

XENA

Eis um riacho. Com sede?

 

 

GABRIELLE

O suficiente para beber aquele vinho

que compramos lá no porto.

 

 

XENA

Venha. Vamos fazer uma parada e comer.

 

Elas deixam a estrada e caminham até o riacho. Várias pedras servem de assento, e Gabrielle tira vantagens disso enquanto Xena se ajoelha para encher seus odres. Gabrielle remove seu diário da sacola e toma uma pena, apontando-a antes de começar a escrever.

 

GABRIELLE

(Voz em Off)

Parece tão estranho estar de volta aqui na
Bretanha. A tempestade que nos desviou do
curso poderia ter nos levado para tantos outros

lugares - por que aqui? E por que agora?

 

Xena traz os odres de volta e se senta no chão, usando as pedras como encosto para as costas. Ela dá uma caneca para Gabrielle. Gabrielle a segura com um sorriso e bebe, ficando com um pouco de água nas mãos, a qual ela espirra na Xena. Ela coloca a caneca no chão e continua a escrever.

 

GABRIELLE

(Voz em Off)

(continua)

Nós estamos nos dirigindo para outra cidade com
porto, onde Xena diz que podemos conseguir
um barco. Eu acho que ela sabe que não quero
passar muito tempo aqui. Nós não falamos
sobre isso, mas este lugar abriga tantas
horríveis memórias para ambas de nós...

 

Um pássaro grita ali perto. Tanto Xena quanto Gabrielle se viram para olhar para ele. A mão de Xena agarra o cabo de sua espada, e dá para notar que ela está impaciente. Depois de um momento, vários pássaros- tordos perseguem uns aos outros através das árvores, e elas duas relaxam.

 

GABRIELLE

(Voz em Off)

(continua)

Este é o lugar onde eu perco a mim mesma. A
Gabrielle que Xena encontrou em Potedia morreu aqui.

 

Xena quebra no meio um pedaço de pão e o entrega a Gabrielle.

 

GABRIELLE

(continua)

Obrigada. Quanto ainda falta para chegarmos à costa?

 

 

XENA

Se continuarmos caminhando até o escurecer, nós
podemos chegar lá amanhã ao meio-dia.

 

GABRIELLE

Que bom.

 

Xena olha para Gabrielle, depois olha para o riacho, com uma expressão sombria.

 

 

GABRIELLE

(Voz em Off)

(continua)

Quando mais cedo partirmos, melhor.

 

CORTA PARA:

 

CENA EXT. ESTRADA DA FLORESTA - DE TARDE.

 

Um grupo de homens cavalga por uma estrada larga e bastante gasta. Na liderança deles está FERGAL - um comandante celta. Com ele estão outros seis homens, incluindo seu filho, BONNACH. Os homens estão vestidos em tecidos celtas xadrez, similares no estilo e idênticos nas cores.

 

FERGAL

Bonnach! Você está se
preparando, meu jovem?

 

Bonnach está sentado em sua sela, de olhos fechados, obviamente concentrado. Ele é alto, bem proporcionado, jovem, e com um rosto bonito. Ele pula um pouco quando lhe dirigem a palavra.

 

BONNACH

Desculpe, pai. Eu estava desenvolvendo um
pouco da minha história. Eu quero que
ela esteja perfeita para a competição.

 

FERGAL

E ela estará, jovem. Você é o melhor
dos que já tivemos em gerações
que levaram o título de bardos.

 

Bonnach sorri um pouco timidamente, mas está orgulhoso da confiança que seu pai deposita nele.

 

O grupo cavalga descendo entre duas rampas quando a estrada os leva a uma trilha de um leito de um velho rio seco, do qual só restou barrancos de barro em ambos os lados. Enquanto eles cavalgam, um grito soa e repentinamente homens deslizam pelos barrancos e se investem contra eles. Os homens vestem capuzes para esconder seus rostos.

 

FERGAL

(continua)

Homens! Comigo!

 

Os homens de Fergal correm para defendê-lo. Os homens encapuzados se aglomeram sobre eles e balançam machados e lanças em um furioso ataque. Um dos homens de Fergal é arrancado de seu cavalo, e seu braço é cortado fora, enviando um esguicho de sangue pelo ar.

 

CORTA PARA:

 

CENA EXT. TRILHA NA FLORESTA - DIA.

 

Xena e Gabrielle continuam a caminhar pela floresta, lado a lado. A trilha onde elas estão agora apresenta uma ladeira para baixo e, através das árvores, pode-se ver de relance uma grande estrada que intercepta o caminho delas.

 

Xena está um pouco desconfortável com o silêncio. Ela se vira e observa atentamente o perfil de Gabrielle, que parece um pouco séria demais pro seu gosto.

 

XENA

Ei. Humano ou animal?

 

Gabrielle estava mergulhada em seus pensamentos. Ela olha para cima com alguma surpresa.

 

GABRIELLE

O que?

 

XENA

Vamos lá. Brinque desse jogo comigo.

 

 

GABRIELLE

Ah.

(pausa)

Xena, eu realmente não estou com humor para isso.

 

XENA

Tudo bem. Mas assim você me deixa confusa.
Isso normalmente faz você melhorar.

 

Gabrielle tem que sorrir com isso, e o faz, porque ela sabe que é verdade.

 

GABRIELLE

OK.

(pensando)

Vá em frente. Adivinhe.

 

XENA

(agradecida)

Animal, mineral, ou vegetal?

 

 

GABRIELLE

Não.

 

Xena olha para ela, em perplexidade.

 

XENA

O que? O que você quer dizer com não?

 

Gabrielle sorri.

 

GABRIELLE

Hehe. Você nunca vai adivinhar essa.

 

 

XENA

Ah é? Vamos ver….

 

A brincadeira delas é interrompida pelo repentino som de uma batalha.

 

XENA

(continua)

Mais tarde. Venha.

 

GABRIELLE

Você sempre encontra uma desculpa.

 

Xena e Gabrielle correm em direção ao som da luta.

 

 

CORTA PARA:

 

CENA EXT. ESTRADA DA FLORESTA - DIA - BATALHA.

 

Os homens encapuzados estão tirando o melhor de Fergal e seu clã. A maioria dos homens de Fergal estão fora de seus cavalos, e dois estão deitados no barro, aparentemente feridos ou mortos. Os outros se reuniram em volta de Fergal e estão lutando desesperadamente. Bonnach está no chão, em uma luta corpo-a-corpo contra um atacante.

 

Xena e Gabrielle correm por detrás deles e tomam conta dos homens encapuzados. Xena desembainha sua espada e distrai três deles, derrubando-os para longe de Fergal. Com seu cajado, Gabrielle deixa inconsciente um dos homens que estava para atingir Bonnach com uma lança, depois vê-se sob o ataque de dois outros. Ela solta o cajado e puxa seus sais, bloqueando as espadas deles.

 

Xena golpeia um homem com o cabo da espada, depois chuta outro para fora da estrada. Ela desvia quando um homem tenta cortar sua cabeça com uma lança.

 

XENA

Outro dia igual aquele?

Nunca mais.

 

 

Gabrielle a ouve, e se distrai por um momento. O homem que ela encarava toma vantagem disso e chuta seu sai para fora da mão dela. Gabrielle se recupera, agarrando o braço dele e girando-o para desferir um chute circular que envia o homem para o espaço.

 

Um momento depois, outro homem pula em Gabrielle, e ela se vira instintivamente, erguendo seu sai bem na hora que ele pousa em cima dela. O sai o atravessa. Gabrielle rola saindo de debaixo do corpo dele e puxa o sai para fora, ensopado de sangue.

 

Gabrielle olha fixamente para seu sai, e por um breve momento sua memória retorna ao templo de Dahak.

 

 

Os homens encapuzados já tiveram o suficiente. Eles se espalham, deixando quatro dos cinco homens mortos no chão e escalando os barrancos para desaparecer na floresta.

 

Fergal está ajoelhado ao lado de Bonnach. Ele é um dos homens do clã que foram feridos. Outros homens do clã se dirigem até ele. Xena e Gabrielle caminham até lá.

 

FERGAL

Estrangeiras, obrigado.

 

Xena se ajoelha para examinar Bonnach. Gabrielle hesita, depois a acompanha.

 

XENA

Ladrões?

 

FERGAL

Só se for de vidas. Nós não temos moedas.

(olhando para Gabrielle)

Você salvou a vida do meu filho, abençoada seja,
mas eles roubaram de nós nossa esperança.

 

Tanto Xena quanto Gabrielle reagem levemente à essa palavra.

 

 

GABRIELLE

O que você quer dizer?

 

FERGAL

Nós estávamos indo para o grande encontro
de clãs. Bonnach estava indo nos representar
para tentar ser nomeado Bardo chefe.

 

GABRIELLE

Bardo Chefe?

 

Xena dá um rápido olhar em Gabrielle, com uma expressão pensativa.

 

XENA

O que vocês ganhariam com isso?

 

FERGAL

A nossa família? Ganhamos um soldo suficiente para

agüentarmos este inverno. O tempo frio matou a

 colheita deste ano, e nós ficamos apenas com o

suficiente para negociar, e economizar.

 

Gabrielle continua com os olhos em Bonnach. Ele está inconsciente, e sangrando.

 

GABRIELLE

Que horrível.

 

XENA

Se é de um bardo que vocês precisam, acabaram
de achar um. Gabrielle pode fazer isso.

 

Gabrielle olha fixamente para Xena, completamente chocada. Fergal e seus homens olham avidamente para ela, o desespero se transformando em esperança.

 

 

 

FADE OUT:

 

FIM DO PRÓLOGO

 

PRIMEIRO ATO