Guia de Episódios Prólogo Primeiro Ato Segundo Ato Terceiro Ato Quarto Ato

Produção #V712 - Episódio 12


ROTEIRO DE
Denise Byrd & Trish Kocialski


ADAPTAÇÃO PARA A TV
TNovan


DIRIGIDO POR / PRODUZIDO POR
Denise Byrd  / Carol Stephens

IMAGENS DAS CENAS
Judi Mair


TRABALHO ARTÍSTICO
Lucia


GRÁFICO DO TÍTULO DO EPISÓDIO
MaryD

TRADUZIDO DO INGLÊS POR
Chris Burle


 

PRÓLOGO

 

FADE IN:

 

CENA EXT. VILAREJO - DIA.

 

XENA e GABRIELLE estão de pé, uma encostada nas costas da outra, em posições defensivas. Xena tem a ESPADA na mão e um sorriso no rosto. Gabrielle tem seus SAIS em punho e está observando vários homens que as cercam. É bem óbvio que nenhum de seus oponentes realmente se preocupa com nenhuma das duas mulheres.

 

 

GABRIELLE

(provocando)

Vá para a cidade, você disse.
Consiga uma refeição quente, você disse.

 

XENA

Como se eu SOUBESSE que

a cidade estivesse sob ataque?

 

GABRIELLE

(sorrindo)

É demais para suas muitas habilidades.

 

 

Xena dá uma risada, então manda um cruzado de esquerda no queixo de um dos homens tolo o suficiente para se mover para tão perto dela.

 

Enquanto Gabrielle luta lado a lado de Xena, ela percebe que os habitantes da cidade estão se inserindo muito pouco na luta contra os assassinos. A maioria dos aldeões está escondida atrás de qualquer cobertura disponível. Alguns dos homens mais jovens estão tentando ajudar, mas na maioria das vezes elas estão por conta própria.

 

Xena e Gabrielle se viram e acabam de frente uma pra outra enquanto se preparam para a próxima rodada. Sem uma palavra, Xena se inclina e coloca a mão esquerda na cabeça de Gabrielle, empurrando-a para baixo. Assim que Gabrielle fica fora do caminho, Xena balança a espada e corta o bandido que ia espetar sua parceira por trás.

 

Gabrielle se vira muito brevemente, apenas a tempo de ver o homem cair no chão.

 

GABRIELLE

(continua)

Lembre-me de te agradecer mais tarde.

 

XENA

Conte com isso.

 

 

Ambas mulheres continuam a lutar com a gangue de assassinos. Xena está claramente se deleitando com a pequena batalha. Há um olhar selvagem em seus olhos e um sorriso satisfeito no seu rosto enquanto ela lança uma combinação de socos e chutes nos homens que a circundam.

 

Gabrielle arranca uma espada da mão de um homem na frente dela, depois o chuta para trás. Ela recupera sua posição de pé e se vira para encontrar o próximo cara mau. Suas defesas vagarosamente se abaixam quando ela vê Xena tomar conta dos últimos três homens. Quando o último homem cai no chão, os homens restantes se levantam e fazem uma rápida retirada.

 

Xena ainda está procurando por uma luta. Ela olha em volta rapidamente, respirando pesadamente e preparada para arremessar outro ataque.

 

Muito lentamente os ocupantes do vilarejo saem de seus esconderijos e se reúnem em volta de Xena, que ainda está procurando por outro ataque. Gabrielle sorri quando vê os aldeões indo até sua parceira. Eles estão comemorando agora, e oferecendo seus agradecimentos a ela.

 

 

Xena lentamente abaixa suas defesas, e silenciosamente começa a aceitar os elogios da multidão. Gabrielle permanece de pé ali atrás, com um sorriso, e observa enquanto as mulheres idosas tentam dar presentes comestíveis e crianças oferecem flores para a heroína delas.

 

Quando elas fazem contato visual uma com a outra, Gabrielle pode sentir o poder e a energia que vêm de Xena. Ela balança levemente a cabeça e a fita de volta, enquanto Xena é levada embora pelos cidadãos agradecidos.

 

 

Guardando seus sais na cintura, ela olha em volta para o vilarejo, o qual foi tomado por uma grande quantidade de estragos por causa do ataque. Os feridos estão sendo ajudados por algumas poucas hábeis pessoas.

 

Suspirando, ela corre os dedos pelo cabelo, enquanto faz um inventário mental do que precisa ser feito agora que a luta terminou. Enquanto ela considera os problemas antes deles, uma velha MULHER vai até ela.

 

MULHER

Venha, criança, certamente você precisa

de comida e descanso.

 

GABRIELLE

Obrigada, mas eu estou bem.

 

MULHER

Eu sou Cassandra. Você e sua
amiga são verdadeiras salvadoras.

 

GABRIELLE

Eu não iria assim tão longe.

 

CASSANDRA

Oh, são sim. Nós não temos tido um momento de paz
desde que Rellton chegou ao vale. Ele e seus homens

estão sempre pilhando ou exigindo tributos. Nós somos
um vilarejo de simples fazendeiros e artesãos. Você
e sua amiga verdadeiramente nos salvaram.

 

Cassandra olha para a estalagem para onde Xena foi levada.

 

CASSANDRA

(continua)

Ela é uma líder por natureza.

 

GABRIELLE

Sim. Sim, ela é.

 

 

CASSANDRA

Você acha que ela estaria disposta a nos ajudar?
Possivelmente treinar alguns dos nossos homens para nos defender?

 

GABRIELLE

Eu... Eu não sei.

 

Gabrielle olha para Xena, que está parada de pé em uma multidão formada pelos homens mais jovens do vilarejo. Eles estão reverentes a ela, e é bastante claro que ela está gostando da atenção que lhe está sendo dirigida. Energia pura está praticamente se derramando dela.

 

GABRIELLE

(continua)

Você pode perguntar a ela.

 

CASSANDRA

Então eu pedirei ao Ancião Dugan que pergunte.

(pausa)

Temo que, se ela aceitar, nós não possamos
oferecer muita coisa como pagamento.

 

Gabrielle mastiga os lábios, refletindo por um momento, e então dá um leve sorriso para a velha mulher.

 

GABRIELLE

Se ela aceitar, não será pelo que vocês
possam pagar a ela. Ela fará isso
porque é isso o que ela faz.

 

 

Cassandra percebe um olhar quase melancólico no rosto de Gabrielle.

 

CASSANDRA

Há algo errado, criança?

 

GABRIELLE

Não. Eu estava apenas pensando sobre o passado.

 

CASSANDRA

Oh, ouça isso de alguém que já viveu
tanto como eu já vivi: o passado é
um lugar perigoso para se ficar.

 

GABRIELLE

Acredite em mim, eu sei. Mas você já imaginou
o que o mundo seria hoje, se apenas uma
coisa do seu passado fosse diferente?

 

 

CASSANDRA

Acho que todo mundo já teve esse
pensamento uma vez ou outra.

 

GABRIELLE

Acho que acabei de ter minha vez.

 

Ela olha em volta, percebendo que há coisas a serem feitas.

 

GABRIELLE

(continua)

Eu realmente deveria ajudar essas pessoas.
Você poderia me dar licença?

 

CASSANDRA

Claro. Mas, por favor, venha até a estalagem
logo, para comer alguma coisa.

 

GABRIELLE

(tranqüilizando-a)

Eu irei. Prometo.

 

Cassandra vai até a estalagem enquanto Gabrielle caminha até a construção que está sendo utilizada como hospital. Enquanto ela caminha, ela observa Xena, que está agora mostrando a um jovem homem a maneira correta de manejar uma espada.

 

GABRIELLE

(continua)

(para si mesma)

O que você seria agora, Xena? Se eu tivesse
morrido na Tessália, onde você estaria?
Você estaria governando a Grécia com
Solan ao seu lado como seu herdeiro?

 

 

Tirando esses pensamentos da cabeça, Gabrielle entra no hospital.

 

FADE OUT.

 

FIM DO PRÓLOGO

 

PRIMEIRO ATO